O que cabe neste livro?

Tu e Eu e Todos de Marcos Farina, Orfeu Negro Que somos todos diferentes, isso já não é novidade. As crianças sabem ler muito bem as diferenças que existem entre si e não me refiro apenas às diferenças físicas: as maneiras de ser, os modos de estar também são comtempladas pelas avaliações que fazem àsContinue a ler “O que cabe neste livro?”

O que cabe neste livro?

Elefantes Não Entram de Lisa Mantchev ilustrado por Taeeun Yoo, Bichinho de Conto. “Numa sociedade, se houver espaço, nunca há conflito”. Esta frase de Afonso Cruz (em “Jesus Cristo Bebia Cerveja”) podia muito bem ser uma apreciação deste Elefantes Não Entram. Como é que uma frase tão séria, de um livro para adultos, pode serContinue a ler “O que cabe neste livro?”

Uma cerveja preta, se faz favor.

O primeiro livro que li do Afonso Cruz foi “A Boneca de Kokoschka”. A narrativa prendeu-me profundamente durante dois dias de leitura, algo que não me acontecia há muitos anos, mais precisamente desde a adolescência. Parte da ação passa-se durante a 2ª Guerra Mundial; a outra parte, no pós-guerra. Penso que, de um modo geral,Continue a ler “Uma cerveja preta, se faz favor.”

O que cabe neste livro?

Menino Menina, de Joana Estrela, Planeta Tangerina Por estes dias fará dois anos que frequentei uma formação sobre género na infância no Teatro Municipal São Luiz. Esta formação foi feita a par com a exibição do espetáculo “É pró menino e prá menina” de Catarina Requeijo. Embora o assunto não me fosse de todo desconhecido,Continue a ler “O que cabe neste livro?”

O que cabe neste livro?

tao – fragmentos do caminho chinês do Mestre Laozi, Manuel Ollé e Neus Caamaño. Pequena Fragmenta. Este foi o primeiro livro que comprei durante o confinamento em março desde ano. E não podia ter escolhido melhor. Tal como para muita gente, este confinamento teve para mim o significado de ficar sem trabalho. Eu estava quaseContinue a ler “O que cabe neste livro?”

“Cada história conta”

O mundo da literatura infantil sempre me fascinou. O facto de ter trabalhado como educadora de infância fez com que a minha relação com os livros ilustrados fosse aprofundada, na medida em que fazia o uso do livro para provocar conversas, descobertas, pensamentos ou mesmo na tentativa de dar respostas a perguntas que nos surgiamContinue a ler ““Cada história conta””