Tragédia grega em ruínas romanas.

Na semana passada fui ver Antígona, uma tragédia grega clássica com assinatura de Sófocles, encenada por André Murraças. Antígona é irmã de de Isménia, Polinices e Etéocles. Por querer dar um funeral digno ao irmão Polinices, ao ser encontrada a enterrar o corpo do irmão, Antígona é condenada a ser enterrada viva por Creonte, umContinue a ler “Tragédia grega em ruínas romanas.”

“A Humanidade caminha para um suicídio coletivo”

Fui ver a peça “Calígula morreu, eu não”, no TNDMII, encenada por Marco Paiva com texto de Clàudia Cedó. Este foi o primeiro contacto que tive com o trabalho dos atores da companhia Terra Amarela, e estreei-me também como espectadora de um espetáculo que tem em palco atores Surdos e atores com deficiência. Há aquiContinue a ler ““A Humanidade caminha para um suicídio coletivo””

Pode a palavra equilíbrio ser sinónima de ecossistema?

O Museu Nacional de História Natural e da Ciência inaugurou, como tantos outros museus, exposições em plena pandemia. Esta foi uma delas. Esta exposição comissariada por Cristina Branquinho desafia-nos a conhecer, dentro do espaço de 1200 metros quadrados, os principais ecossistemas portugueses, repartindo-se assim por dez ecossistemas: urbano, montanhoso, florestal (incluindo bosque, montado e estepe),Continue a ler “Pode a palavra equilíbrio ser sinónima de ecossistema?”

“Eu não morri”

No passado dia 23 de abril fui ver o espetáculo do Teatro Griot, O Riso dos Necrófagos na Culturgest. Dirigido por Zia Soares, esta peça de teatro/dança/performance está concebida, para nos captar a atenção e o pensamento. Este espetáculo é uma chamada de atenção para não perpetuar o esquecimento dos horrores vividos na Guerra daContinue a ler ““Eu não morri””

“Passar a semana inteira a papar museus”

Na semana passada os museus reabriram pela segunda vez, após mais um confinamento que levou ao fecho das suas portas. Esta reabertura foi alvo de notícia por parte da comunicação social e também foi anunciada pela Direção Geral do Património Cultural. Mas confesso que o que mais me marcou foi a “reportagem” feita pelo PortugalexContinue a ler ““Passar a semana inteira a papar museus””

A revista “dois pontos” na Educação para a Cidadania

Comecei a ouvir falar da dois pontos pouco depois de ter saído o primeiro número. A revista destinada a crianças dos 7 aos 11 anos estava a provocar comentários muito positivos no meio da Educação, recebendo o selo do Plano Nacional de Leitura. Se eu já estava curiosa com os seus conteúdos, fiquei ainda mais.

Afinal o mundo não é uma ervilha… é um quadrado

Esta semana vi o filme O Quadrado de Ruben Östlund. Trata-se de um filme que retrata uma série de questões relacionadas com museus, a arte contemporânea, as desigualdades sociais e as relações de poder. Não sou crítica de filmes mas dada a forma como este me tocou consigo compreender porque venceu a Palma de OuroContinue a ler “Afinal o mundo não é uma ervilha… é um quadrado”

Por uma Educação Antirracista

Após o assassinato de George Floyd seguiram-se várias manifestações antirracismo por todo o mundo. Há dias chegou a vez da revolta ser marcada nas estátuas. Em Portugal, da vandalização da estátua do Padre António Vieira, muito se disse, pensou, escreveu. Também pela minha cabeça se passaram vários pensamentos e ideias. No entanto, esta e outrasContinue a ler “Por uma Educação Antirracista”

Pandemias

Estive cerca de dois meses e meio em isolamento social tal como muitas outras pessoas por esse mundo fora. Ao longo deste tempo tive oportunidade para refletir sobre várias questões. A Terra continua a girar e não é por estarmos num modo de vida diferente devido ao Covid-19 que todos os problemas que tínhamos antesContinue a ler “Pandemias”