O que cabe neste livro?

tao – fragmentos do caminho chinês do Mestre Laozi, Manuel Ollé e Neus Caamaño. Pequena Fragmenta.

Este foi o primeiro livro que comprei durante o confinamento em março desde ano. E não podia ter escolhido melhor. Tal como para muita gente, este confinamento teve para mim o significado de ficar sem trabalho. Eu estava quase a terminar a minha licença de maternidade e já tinha algumas atividades agendadas. Estava super entusiasmada com o regresso, sentia saudades do meu trabalho. Não nego que foi esta temporada em casa que me permitiu acompanhar muito mais o meu filho nos seus primeiros meses de vida; essa foi sem dúvida a parte positiva de tudo isto.

Continue a ler “O que cabe neste livro?”

E vocês sabem se eu sou cigana?

Iniciei um projeto novo com uma das turmas de 2º ano. Andava cheia de vontade de lançar este desafio a esta turma particular: por um lado, porque são aqueles que mais necessidade têm revelado de momentos para pensar, pensar criticamente sobre certos assuntos. Por outro lado porque, até à data, são o grupo que demonstrou uma maturidade capaz para desconstruir esses mesmos assuntos.

Continue a ler “E vocês sabem se eu sou cigana?”

As Artes Plásticas na Educação – ativismo e representatividade

Ter iniciado a nova aventura de dar aulas de Expressões Artísticas e Artes Plásticas ao 1º Ciclo fez-me refletir imenso sobre Educação, o mundo das Artes nas suas várias manifestações e na responsabilidade que tenho em mãos. Cada vez mais, torna-se urgente que a Arte seja entendida como uma parte importante da Educação pois “através da Arte, o indivíduo é confrontado com diferentes realidades, desenvolve a forma de sentir e percecionar os objetos e o mundo que o rodeia, e acede a formas de conhecimento que lhe possibilitam aprender a entender outras realidades – encontra-se e reconhece-se perante a diversidade” (Lucas 2015, 49).

Continue a ler “As Artes Plásticas na Educação – ativismo e representatividade”

Racismo e Educação: que relação?

Nos últimos tempos tem-se falado mais sobre racismo, é verdade. Mas também é verdade que falar sobre o assunto não significa uma efetiva mudança nas estruturas que o promovem.

Na semana passada estive presente numa formação sobre o racismo na Educação em Portugal ministrada por Cristina Roldão promovida pelo Museu Nacional de Etnologia. Este dia de formação dedicado à Escola fez parte de uma ação de vários dias intitulada Diálogos na Diversidade – Programa de Educação para a Multiculturalidade.

Continue a ler “Racismo e Educação: que relação?”

O que cabe neste livro?

Teatro, de Ricardo Henriques e André Letria, editado pela Pato Lógico

Este livro não conta uma história, conta várias. Não, esperem, enganei-me: este livro conta uma história com vários finais possíveis… ah, afinal também não, este livro faz-nos querer inventar histórias, assim é que é!

Continue a ler “O que cabe neste livro?”

“Cada história conta”

O mundo da literatura infantil sempre me fascinou. O facto de ter trabalhado como educadora de infância fez com que a minha relação com os livros ilustrados fosse aprofundada, na medida em que fazia o uso do livro para provocar conversas, descobertas, pensamentos ou mesmo na tentativa de dar respostas a perguntas que nos surgiam no dia-a-dia.

Continue a ler ““Cada história conta””

A revista “dois pontos” na Educação para a Cidadania

Comecei a ouvir falar da dois pontos pouco depois de ter saído o primeiro número. A revista destinada a crianças dos 7 aos 11 anos estava a provocar comentários muito positivos no meio da Educação, recebendo o selo do Plano Nacional de Leitura. Se eu já estava curiosa com os seus conteúdos, fiquei ainda mais.

Continue a ler “A revista “dois pontos” na Educação para a Cidadania”

O que cabe neste livro?

A tua canção, Inês Castel-Branco, María Ella Carrera e Xavier Melloni, Pequena Fragmenta

A primeira vez que li A tua canção o desejo de ser mãe já me habitava o coração e a mente…talvez por isso me tenha tocado particularmente. A verdade é que dentro de mim já ia nascendo uma canção.

Continue a ler “O que cabe neste livro?”

Afinal o mundo não é uma ervilha… é um quadrado

Esta semana vi o filme O Quadrado de Ruben Östlund. Trata-se de um filme que retrata uma série de questões relacionadas com museus, a arte contemporânea, as desigualdades sociais e as relações de poder. Não sou crítica de filmes mas dada a forma como este me tocou consigo compreender porque venceu a Palma de Ouro na 70ª edição do Festival de Cannes.

Continue a ler “Afinal o mundo não é uma ervilha… é um quadrado”